Precisa de Ajuda ?
Fale pelo WhatsApp
26/09/2018

Pesquisadores sequenciam bactéria rara que causa cárie dentária desenfreada


URBANA, Illinois, EUA: Entre as doenças crônicas mais prevalentes em crianças e adultos está a cárie dentária, que ocorre quando a boca está em um estado de disbiose. Até agora, pouco se sabia sobre a bactéria Streptococcus sobrinus, que acelera a cárie em algumas pessoas. No entanto, uma equipe de pesquisa do Departamento de Engenharia da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign já sequenciou com sucesso os genomas completos de três cepas de S. sobrinus.

Como S. sobrinus é difícil de trabalhar em laboratório e não está presente em todas as pessoas, os pesquisadores concentraram seus esforços em entender o Streptococcus mutans , mais estável e prevalente , que foi sequenciado em 2002, segundo o professor assistente de pesquisa Dr. Paul Jensen do Instituto Carl R. Woese de Biologia Genômica na universidade.

“Embora seja raro, o S. sobrinus produz ácido mais rapidamente e está associado com os desfechos clínicos mais pobres, especialmente entre as crianças”, disse Jensen. “Se o S. sobrinus estiver presente junto com o S.mutans , você corre o risco de apresentar cárie dentária desenfreada, o que significa que há algum nível de comunicação ou sinergia entre os dois que ainda não entendemos.”

Agora que o sequenciamento de S. sobrinus está completo, a equipe de pesquisa está construindo modelos computacionais para entender melhor como as duas bactérias interagem e por que o S. sobrinus pode causar cáries tão potentes em combinação com o S. mutans . Eles já confirmaram que o S. sobrinus não possui vias completas para a detecção de quorum, que é a capacidade das bactérias de sentir e reagir a bactérias próximas e, por fim, proliferar. ” O S. sobrinus não tem um sistema completo para fazer isso”, disse Jensen. “Estamos muito curiosos para explorar mais isso e descobrir o que está faltando e por quê.”

De acordo com Jensen, as bactérias S. mutans enviam antenas na forma de um peptídeo para descobrir quantas outras células de S. mutans estão próximas. Uma vez que as células de S. mutans atingem um certo limiar, elas atacam, criando um desequilíbrio no microbioma bucal e levando à rápida formação de cavidades.

“Para o campo de S. sobrinus , este é um trabalho inovador porque o campo foi assolado por falta de informação. Em 2018, é surpreendente que tivéssemos uma espécie inteira [de bactérias] que causasse doenças e não tivesse um genoma completo ”, concluiu Jensen.

Este trabalho foi financiado por uma bolsa do National Institutes of Health, National Institute of Dental e Craniofacial Research e do Illinois Master of Engineering in Bioengineering Program.

O estudo, intitulado “Seqüências completas de genoma de Streptococcus sobrinus SL1 (ATCC 33478 = DSM 20742), NIDR 6715-7 (ATCC 27351), NIDR 6715-15 (ATCC 27352) e NCTC 10919 (ATCC 33402)”, foi publicado online em Microbiology Resource Announcements em 26 de julho de 2018.

FONTE: Dental Tribune